42 dias {arquive-se para memória futura I}

7ee3c737-fc18-4172-a487-5cbd2db4df68

Das fotos que sempre quis partilhar, dos testes que sempre quis ter.

Durou apenas 8 semanas, que se traduzem em 42 dias e não 56. A matemática, dizem, é uma ciência exacta. Mas na gravidez as semanas são 40 enquanto os meses são 9. E as minhas 8 semanas foram fisicamente 6. Mas, para os médicos, contam-se 8. Seja.

Já não se contam mais. Pararam ali. 2 dias depois de confirmar que o meu corpo não andava apenas a dar sinais de cansaço, mas de algo mais. O corpo em mudança, uma vida a formar-se cá dentro. 2 dias depois, uma visita de urgência ao Hospital São Francisco Xavier que confirmou que o que estava cá dentro não era para ser, não podia ser.

Mais 11 dias de espera por um processo que teimava em não avançar naturalmente. 11 dias de espera, no meio dos 42, para terminar de vez o que já se sabia não podia ser. Não era. Mas foi.

Durante 42 dias estive grávida. Hoje, hoje já não estou. Não era para ser, dizem-me. 
Dói. Fisicamente. Mas sobretudo emocionalmente.

Mas aprendi. Que tenho ao meu lado e do meu lado pessoas enormes que não me deixam cair. Que me estendem a mão. Que me acompanham. Que me lembram aquilo que eu digo tantas vezes aos outros: um dia de cada vez.

Também a isto irei sobreviver. Um dia de cada vez. Demore o tempo que demorar.

A quem foi sabendo ao longo destas duas últimas semanas o que se passava: obrigada pelo vosso apoio, pelo vosso carinho, pelo vosso mimo.
A quem não foi sabendo, mas ainda assim esteve lá sempre, mesmo às escuras: um obrigada ENORME, sem tamanho, porque mesmo às escuras me apoiaram nos dias mais doridos e doídos que vivi. E vivo, ainda.

De resto, já não consigo ouvir a frase “daqui a pouco tempo podes tentar outra vez”. 

Isto, estar grávida, é a única coisa que eu alguma vez quis com todas as forças. A única coisa que eu alguma vez desejei realmente. E quando achei que já não iria acontecer, aconteceu. E durou apenas 42 dias.

Um dia volto a tirar os olhos do chão. Prometo. Não o prometo a vocês. Prometo a mim mesma. 
Um dia volto ao sorriso fácil. À gargalhada sonora, espontânea e com gosto.

Um dia. Um dia de cada vez.

Obrigada, tanto, tanto, tanto, pelo vosso carinho e preocupação.

Não tinha que ser. E, pelos vistos, não podia ser.

One thought on “42 dias {arquive-se para memória futura I}

  1. Pingback: O melhor de 2014…? Vocês! | Life is Like a Box of Chocolates

{comentários}