#day289

Há dias que passam devagar. Como o de hoje. Sem pressas. Sem horários. Sem histórias. Sem História.
Há dias que precisam de ser assim. Porque também estes dias são bons. E necessários.

Lá longe, o filme de terror de há duas semanas parece estar a reaparecer. Mais leve, mas ainda surreal.
Lá longe, há uma vontade de ir! Sem olhar para trás. Sem quê nem porquê. Sem porquê? Não. Com muitos porquês. Porque sim. Porque não. E porque também.

Mas, por cá, um dia após o outro. Numa calmaria que nunca pensei ser possível depois de tantas tempestades. “Estás tão bem”, dizem-me. Estou, respondo. E vou continuar. Perguntam-me como estou. Respondo que, finalmente, estou bem. “Gosto de saber isso”, respondem-me. Também eu. E também por isso, por gostar de saber e por gostar de estar bem, faço questão de continuar. Independentemente dos filmes surreais ou dos sonhos altos sem dormir.

Um dia de cada vez. Não consigo ser de outro modo. Pelo menos agora já não consigo. E o dia de hoje, sem pressas, sem horários, sem histórias, sem História, está prestes a chegar ao fim. Amanhã? Logo se vê ♥fr03062015232351

{comentários}

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.