Daily Archives: 25/10/2015

#day432

{que afinal é #day433}

Das coisas que se aprendem com a contagem dos dias: tudo passa.

Sim, ontem foi um dia triste. Uma noite em branco. Choveu cá dentro, em mim, como há muito tempo não acontecia.

Dizem que chorar não resolve nada. É verdade. Mas alivia. Limpa. Transforma. E por isso mesmo a noite de ontem foi como foi. Em branco. E em lágrimas.

Mas tudo passa. E hoje apenas choveu lá fora. Apesar dos olhos inchados e da cabeça pesada, apesar de essa tal tristeza ainda cá estar.

Chamo-lhe tristeza. Podia chamar-lhe desilusão. Frustração. Mas não é nada disso. É apenas tristeza. Porque para saber o que é ser/estar feliz, é preciso saber o que é ser/estar triste.

Mais uma vez, é a forma como sinto. A intensidade com que sinto. Porque só sei sentir assim. Muito.

Hoje sei. Não mais borboletas, não mais vertigem, não mais flutuar três passos acima do chão. Não mais sorrisinho ao canto da boca. Não mais brilhozinho nos olhos. Não mais saltaricar e cantarolar. Não mais copos de vinho ou chávenas de café.

Não mais? Não. Não mais. Por agora. Desisto, uma vez mais, do que quero. E também aqui quero tanto. Não sou de desistir, não gosto de desistir. Mas há que saber reconhecer a derrota. E reconheço-a. E, por isso, também disso desisto.

………e olho para trás e percebo que, em tão pouco tempo, desisto de duas coisas que me são…que me eram tão queridas.

Mas, ainda assim, hoje só choveu lá fora. E o que sinto, e como sinto, fica comigo. Para mim. Porque é mesmo assim.

E com a contagem dos dias aprendi também que não é um dia menos bom que me impede de continuar a ver as coisas boas. E a coisa boa, aqui, é que apesar de tudo sobrevivi. A tudo. E estou cá. Mesmo tendo estado perto, tão perto, tão demasiado perto de já cá não estar.

image