Daily Archives: 10/11/2015

#day449

Quando o efeito borboleta passa a efeito Violeta. Não percebi, ainda, como tanta coisa pode mudar com o simples bater das asas de uma borboleta. Não percebi, mas não importa perceber. Importa que é mesmo assim.

Não sei se faz sentido. Mas faz sentir. E só por isso já faz sentido.

E sinto. Permito-me sentir. É novo este sentir. Não que nunca o tenha sentido antes. Apenas porque é novo no Violeta. E faz-me sentido sentir e permitir-me sentir assim: Violeta.

Descobri que há outras formas de deixar de respirar para além daquelas, cinzentas, que já conheci bem demais. Provavelmente também já conhecia esta, apenas não me lembrava de como pode o ar faltar pela antecipação. Mas é uma antecipação boa, um faltar o ar de quem quase precisa do outro para respirar porque só com o outro começa a fazer sentido. A fazer sentir.

Medo. Claro que sim. Como não? Mas com vontade de aprender e saber ler nas linhas e entrelinhas. Com vontade de aprender e saber ler sorrisos. Com vontade de aprender a desenhar novos desenhos com novas cores e daí ler o que os desenhos me contam. Com vontade de partir à descoberta. Sem mapas. Sem guias. Mas não às escuras porque a Lua, como sempre a minha Lua, está lá. Mas desta vez não fui eu quem a trouxe.

Marco os dias a cores porque os dias não os quero cinzentos. Espalho pó de fada por aqui e por ali. Recebo magia e com ela vou aprendendo a ser mais magia. E lembro-me das bolas de sabão. E sinto-me com 5 anos agora e com 15 daqui a uns minutos, nunca com 38 que não tenho porque não os sinto.

Sentir. É isso. É tão só isso. Mais nada. Sentir. Permitir-me sentir. E permitir-me que o ar me falte a cada novo plim! A cada novo tom de Azul. A cada nova presença por muito curta que tenha sido a ausência.

Não me dêem mapas. Não preciso deles. Dêem-me cores. Todas. E se me perder pelo caminho…? Se me perder pelo caminho a minha Lua está lá. Como sempre esteve. Por agora? Por agora QV e FN. Porque estas cores, todas mas acima de tudo o Violeta, são SN.

image