#day457

Esta noite, da minha janela, não oiço o mar. Nem o Gaiato, o burro do bairro que a esta hora já deve estar recolhido. Também não vejo a Lua.
Mas esta noite, e já tantas outras, da minha janela, respiro. Tranquila.

E abro a minha janela e deixo entrar pedacinhos de histórias, de Histórias, que depois de entrarem ali ficam guardados como numa caixinha de segredos, de tesouros, de memórias.

Esta noite, da minha janela, não oiço o mar. Nem o Gaiato, o burro do bairro que a esta hora já deve estar recolhido. Também não vejo a Lua. Mas respiro. E vivo já muito além de apenas sobreviver.

image

{comentários}

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.