#day116 out of 365plus1

descarrilar | v. tr. | v. intr.

des·car·ri·lar – Conjugar
verbo transitivo
1. Desviar do carril; fazer sair dos carris.
verbo intransitivo
2. Saltar fora dos carris sobre que ia rodando (carruagem).
3. [Figurado]  Sair do bom caminho, da senda do dever; disparatar.

“Descarrilar”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/DLPO/Descarrilar [consultado em 25-04-2016].

Acumulam-se as curvas e contracurvas no caminho com o estado da via a necessitar de atenção. Segue-se caminho um dia atrás do outro atrás do um, com paragem em todas as estações e apeadeiros excepto Chelas e Marvila, a um ritmo mais ou menos constante de dias bons e dias assim-assim. Longe os dias maus. Passe mensal, passe diário para contabilizar cada um dos dias que chegam, que passam.
Mas o estado da via a necessitar de atenção. Não que existam obstáculos intransponíveis, apenas pedras pelo caminho que se vão soltando da engrenagem. Sim. As pedras não estão no caminho. Estão na engrenagem, escondidas algumas delas de modo a permitir o fluir do percurso. Mas o estado da via a necessitar de atenção.

São pedras. Pequenas pedras, que se escondem aqui e ali, que de vez em quando se soltam e caem na via, naquela via a necessitar de atenção. Pedras que vão caindo sem fazer estrago, aliviando a carga, a sobrecarga de pedras que se escondem. Algumas dessas pedras fazem parte da estrutura que cobre a engrenagem. Foram sendo recolhidas à passagem por aqui e por ali. Construindo toda uma estrutura que cobre o que faz mexer, o que faz seguir em frente. No fundo, o que faz seguir em frente é essa engrenagem que precisa de manutenção mas também da protecção dessa cobertura de pedras.

As outras pedras foram também recolhidas por aqui e por ali. Muitas delas com o seu propósito no momento certo em que foram recolhidas, outras cuja função ainda não é bem clara apesar de fazerem parte de todo o percurso, outras apenas um peso que é preciso largar. E é preciso largá-las do modo certo para não danificar ainda mais a via, já de si a necessitar de atenção. É preciso largá-las do modo certo, já fora de tempo, para não danificar ainda mais a estrutura que as transporta, em sobrecarga, há já demasiado tempo.

São essas pedras, em sobrecarga e já mal arrumadas, que põem em risco a engrenagem. O pó dessas pedras já se faz sentir, já se lhes ouve o atrito. E mesmo assim se segue a viagem num percurso certo que efectua paragem em todas estações e apeadeiros excepto Chelas e Marvila, um percurso de um dia atrás do outro atrás do um. Com excesso de carga. Com sobrecarga de pedras mal arrumadas a espalhar pó pelo caminho, por essa via a necessitar de atenção.

É necessária uma paragem em breve. Seja em que estação ou apeadeiro for, mesmo até Chelas ou Marvila. É necessária uma paragem em breve para aliviar a sobrecarga no sítio certo, já fora de tempo. É necessária uma paragem em breve para arrumar essas pedras em depósito próprio. Voltar a limpar a via. Voltar a desobstruir o caminho. Voltar a olear a engrenagem. E com passe diário seguir a conta dos dias que chegam e dos dias que passam, já sem pesos nem risco de descarrilamento por excesso de carga mal arrumada.

image

{comentários}

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.