#day141 out of 365plus1

Se um dia te disserem “pode dar-me a mão só um bocadinho?”, não hesites. Dá a mão, estende o braço, serve de apoio, acompanha nesses menos de 50 metros em mais de 20 minutos. Não é Tempo perdido. É Tempo ganho.

Porque um dia foste tu a pedir a mão para manter o equilíbrio. Porque um dia foste tu a precisar de um braço estendido. Porque um dia foste tu a precisar de um ponto de apoio para percorrer os teus menos de 50 metros em mais de 20 minutos.

Deixaste um sorriso genuíno. Devolveste em igual medida a uma senhora que podia ser tua avó. Que sabes que se chama Constança e tem dos sorrisos mais bonitos que encontraste nos últimos tempos. Perguntou-te se lhe davas um beijinho quando finalmente a deixaste bem entregue. Não deste um, deste dois. E sentiste, quando te ajoelhaste à sua frente, já sentada e notoriamente cansada, sentiste um bocadinho daquele mimo de avó que há tantos anos não sentes. E, tal como em conversa de avó e neta, ralhaste e fizeste-a prometer que não repetia a aventura. Riste com ela quando te disse envergonhada que prometia. E tiveste vontade de a abraçar quando te foste embora como se abraça uma avó.

Se um dia te disserem “pode dar-me a mão só um bocadinho?”, não hesites. Com essa mão dada pode vir um bocadinho de magia daquela que só as avós sabem ter.

image

{comentários}

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.