{#página70} 

Colhes sempre o que plantas. 

E é tão bom perceberes, e aceitares, que começas a colher o que começaste a plantar há 6 meses e meio. 

Se tem valido a pena? Sabes tão bem que sim. Mesmo que nos dias menos bons insistas em dizer que não notas diferenças. Sabes que sim, que estás melhor, que estás diferente. 

O caminho, já sabes, não é fácil. Nunca te disse que seria. Ainda vais tropeçar algumas vezes. Provavelmente até voltarás a cair. Mas sabes que não estás sozinha. Já não estás sozinha. Tens quem te segure, quem esteja contigo quando cais, que te ajuda a racionalmente regressar e recuperar do tombo emocional. Que te permite ser mais emoção do que razão mas que simultaneamente te leva a racionalizar as emoções. Ensina-te, mesmo que não dês por isso, a procurar o ponto de equilíbrio. Esse mesmo ponto que não tens encontrado, que não tens conhecido. 

Colhes sempre o que plantas. E hoje começas, finalmente, a perceber que é possível colher o equilíbrio. 

Vai correr tudo bem. 

{comentários}

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.