{#página249}

O Mundo é um lugar feio. Feio e que não se compadece de porra nenhuma!

Tantas vezes duvido dos passos que dou. Tantas vezes sigo a custo por não acreditar já que ainda vale a pena. Tantas vezes tiro os olhos do chão para olhar em frente e tê-los molhados em menos de nada ou coisa nenhuma numa conversa de circunstância de 15 minutos. Tantas vezes respiro fundo quando já não tenho paciência mas tenho que aguentar porque tem que ser. Tantas vezes repito que hoje não mas afinal hoje sim porque é assim que é.

Tantas vezes na corda bamba. No fio da navalha. No trapézio sem perceber onde está a minha rede de segurança.

Tantas vezes que me apetece simplesmente parar o Mundo. Aquele mesmo Mundo que é feio, tão feio, e que não se compadece de porra nenhuma! Parar o Mundo, deixar-me ficar quieta, sossegada no meu canto por um tempo. Não preciso de muito tempo. Só uns dias. Para voltar a mim mesma, para perceber em que ponto do meu caminho estou. Para poder respirar, erguer a cabeça, reencontrar coisas bonitas num Mundo tão feio e regressar ao meu caminho.

Preciso de parar. Não posso. Mas preciso, muito, de parar. Só um bocadinho. Mas ninguém me leva a sério quando digo que preciso, muito, de parar. Só um bocadinho… Por favor………antes que seja tarde.

{comentários}

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.