Monthly Archives: August 2019

{#234.132.2019}

Não gosto de me sentir impotente. Mesmo quando “não tenho o direito” de querer fazer alguém sentir-se melhor. “Não tenho o direito” é uma expressão muito forte, mas é a única que me ocorre neste momento. Porque saber que alguém está a ter dias menos bons também mexe comigo sem poder fazer nada.

Mantenho-me por aqui, por perto. Se puder fazer alguma coisa, diz-me…

{#233.133.2019}

Dar espaço aos outros para respirar. Quando tudo o que queria era estar lá, ao lado.

Para quando novamente uma esplanada ao fim do dia?

{#232.134.2019}

A ver os dias passar. Depressa e lentamente ao mesmo tempo. Se há uns tempos achava que os dias corriam o risco de simplesmente não passar por estar presa num carrossel comboio fantasma montanha russa que não precisa de moedas, hoje vejo-os a passar à frente dos meus olhos sem conseguir agarrá-los para os aproveitar.

Gente estranha, esta, que nunca está satisfeita. Gente estranha, eu, que nunca estou contente com a velocidade dos dias.

Por outro lado, são dias serenos. Quase tranquilos. Melhores hoje do que há uns tempos.

E são dias melhores assim.

{#231.135.2019}

Coisas pequeninas. Continuo a guardá-las todas. Um dia deixo de ser totó a frio e mando tudo cá para fora.

Hoje ainda não foi o dia. Mas a vontade é muita… Com mais ou menos receio, a vontade é muita.

{#228.138.2019}

Dou por mim, muitas vezes, a perguntar-me como é que cheguei aqui. Especialmente desde há 5 anos. Especialmente desde há 3 anos, altura em que caí num buraco ainda mais negro e feio.

Mas foi há 3 anos que comecei um percurso a dois e que me trouxe até onde estou hoje. Com muito trabalho de ambas as partes, terapeuta ele, paciente eu. Muita dedicação e sempre a promessa de não me deixar sozinha. E nunca deixou, mesmo agora a 300 km de distância permanece semanalmente ali ao lado, à distância de um click.

Têm sido 3 anos intensos. Mas a verdade é que cheguei onde duvidei que conseguisse chegar. Não gosto de dizer muito alto que hoje estou bem, mas a verdade é que estou melhor.

3 anos de trabalho. Árduo muitas vezes. Mas que valeu a pena o esforço.

Obrigada. Digo-lhe sempre. Mas hoje especialmente.

Tem valido a pena a viagem.

{#227.139.2019}

Mais um dia. Menos um dia.

Perdido, como tantos. Necessário, como tantos outros.

E a vontade de deixar sair o que guardo comigo.

Está quase. Digo-o tantas vezes a mim mesma que quase acredito em mim. Mas neste momento não depende só de mim… Mas sim, está quase.

Tem que estar quase.

{#225.141.2019}

Às vezes ainda faço comparações e penso “e se”.

O “e se” não existe, já sei. Mas é ainda demasiado fácil cair por aí.

No entanto, estou bem. Começo a aceitar que é mesmo assim.

E se…

{#224.142.2019}

Não estou preparada para mais uma semana. Mas vou tentar fazer com que seja boa e passe rápido.

O tempo dos dias maus ou menos bons já lá vai. Agora é tempo de sorrir aos dias de um Verão tímido.

{#218.148.2019}

Procuro um click. Um simples click que me faça ver com outros olhos aquilo que faço das 9h às 18h. Não preciso de adorar. Mas preciso de não odiar.

Preciso de um click. Procuro um click.

{#217.149.2019}

Adultos que se esquecem de ser adultos. Já dei (demasiado) para esse peditório, mas continua a surpreender. Pela negativa.

Por outro lado, o regresso à rotina. Só custam os primeiros dias até às próximas férias.