{#174.193.2020}

Apetece-me conversar… Se há uns anos, neste mesmo dia, dizia de uma forma quase apática que não me apetecia escrever ou quase comunicar, hoje apetece-me conversar. Não me apetece escrever, não é por aí que tenho vontade de comunicar. Conversar. Cara a cara. Frente a frente. Sem pressa e sem horário, conversa sem rumo pré-definido. Deixar fluir e deixar-me levar pelas palavras.

Falta-me a interacção. Falta-me a conversa presencial. Falta-me a presença do outro. Seja o outro quem for, desde que queira o mesmo que eu: conversar.

Estou cansada do distanciamento… E ainda agora vamos no início, mesmo ao fim de mais de três meses.

Manter a sanidade mental tem sido um desafio. Especialmente desde que entrei em modo “memória de calendário” há uns dias. Por precisar de algum sossego à minha volta e não o ter. Por precisar de lamber as feridas e não estar a conseguir.

Apetece-me o que preciso: conversar. De viva voz.

Não está a acontecer. Nem vai.

{comentários}

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.