Daily Archives: 03/06/2022

{#154.212.2022}

Já sei como se adormecem as borboletas na barriga: com um murro no estômago.

Terça feira já não está muito longe. E as borboletas, mesmo adormecidas, fazem-se sentir. Mas desta vez apreensivas. Com medo. Da conversa. Da reacção, minha e do outro lado. Do resultado.

Por outro lado, não acredito em promessas e deixei de fazer planos. Por isso tento não pensar muito nesse dia. Acho que só quando estiver na mesa para dois é que vou acreditar que o jantar vai acontecer. E, com o jantar, a conversa que sei ser necessária. E que, desta vez, não é de minha iniciativa. E é isso que me assusta e deixa apreensiva. Sei que os sinais são positivos, dentro do que é possível ser positivo. Mas tenho medo de como vou reagir na altura. Não quero chorar. Não quero ser desagradável. Não quero reagir mal. Mas também não quero sair ainda mais magoada.

Vai doer de qualquer maneira. Porque já está a doer desde domingo. A semana foi dura, mas o trabalho ajudou a distrair e a ocupar a cabeça. O grande problema agora é o fim de semana… Demasiado tempo livre, demasiada antecipação. Perfeito para não ser bom.

Mais uma vez, para não me esquecer: não acredito em promessas e deixei de fazer planos. Terça feira logo se vê o que acontece ou não. Porque estou sempre à espera de mudança de planos em cima da hora.

Vamos ver.

Há um longo caminho a percorrer. Uma ponte que tenho que voltar a passar, mesmo com a vertigem do salto que me acompanha, especialmente nos dias menos bons. Mas é preciso percorrer esse caminho, passar essa ponte. Outra vez.

Mas, desta vez, sei que não estou sozinha. E isso vai fazer toda a diferença.