Daily Archives: 08/06/2022

{#159.207.2022}

Mais um dia perdida em mim. O mais difícil? Manter a cabeça ocupada depois do trabalho. E evitar a troca de mensagens.

Perdida é como me sinto. Em mim. Sem saber como me reencontrar no meio desta confusão de sentimentos da última semana e meia.

Não devia fazer-me presente. Devia afastar-me. Devia estar sossegada no meu canto de onde nunca devia ter saído. Mas especialmente agora, agora devia mesmo manter-me longe. Fazer-me ausente, distante.

Não consigo. É uma quebra de rotina muito grande, especialmente quando se fala de rituais, matinais e nocturnos, que desde o primeiro dia me faziam bem. Me faziam sentir bem. Mas que agora não fazem sentido.

Se me fazem falta? Muita. E por isso me custa tanto fazer-me ausente, distante.

Mas não é possível alguém ter o melhor de dois mundos e eu não ter nada. Por isso, por muito que me custe, vou ter que arranjar força para me fazer ausente, distante.

É uma merda, é o que é. Às vezes a ignorância é uma bênção, e hoje preferia continuar na ignorância. Mas já sei. E enquanto não acontecer a conversa que é necessária, sei que não vou conseguir avançar. Não sei como vai correr nem como vai ser depois disso. Sei que não vai ser fácil. E sei que não quero perder mais do que já perdi. Não quero perder um amigo.

Era tão mais fácil se estivesse a falar de um canalha… Mas não estou. Muito pelo contrário. E isso custa muito mais do que um canalha. Porque com um canalha há a possibilidade de me zangar e canalizar a raiva da desilusão. Mas não estou a falar de um canalha…

E isso custa tanto…

Quarta feira da segunda semana. E ainda não chorei. E preciso tanto de o fazer… Mas ainda não foi hoje.

Um dia isto acalma. Um dia isto passa.

Um dia. Mas não hoje. Não ainda. Não já…