{#171.195.2022}

A capacidade de reacção do corpo é impressionante. Tenho dores no corpo como há muito tempo não tinha. Como se aquele murro no estômago de há três semanas tivesse sido, de facto, físico. Não foi. Mas logo naquele momento o meu corpo reagiu. Foi uma reacção demasiado física para algo que foi um choque emocional.

É a somatização. A forma como o corpo físico reage a um peso emocional. Não me lembro de alguma vez ter reagido assim. Aliás, sei que nunca reagi assim. Não bastava o desânimo, a tristeza, a depressão. Também tinha que vir a somatização.

Acho que a forma como estou a reagir diz muito do que sinto, muito do que trago cá dentro, comigo, cá dentro. Eu sabia que o que sinto é muito forte. Não sabia que ia reagir desta forma a algo que sabia que podia acontecer.

Continuo sem conseguir chorar. E isso assusta-me. Sei que, se conseguisse chorar, iria aliviar a pressão que sinto, a ansiedade iria diminuir, a somatização iria abrandar. Mas não choro. E, no dia em que finalmente conseguir fazê-lo, não vai ser fácil.

Já tive resposta. Já existe uma nova data. Mas continuo a só acreditar quando chegar o dia e realmente se concretizar. Quero muito acreditar que à terceira é de vez. Quero muito que aconteça na data programada, ainda a uma semana de distância. Sei que, até lá, a ansiedade vai aumentar todos os dias um bocadinho. Mas vou ter que lidar com ela. E vai-me dar tempo para regular um pouco mais as emoções e chegar à data marcada menos zangada. Até porque já tive resposta. E sei que, até lá, continuarei a ter retorno. Como tenho tido. Mesmo que, por vezes, seja ignorada, o retorno acaba por acontecer.

Ansiedade em alta, mas um pouco mais tranquila hoje. Tirando as dores no corpo todo, foi um dia mais sereno. Porque já tive uma resposta. Às vezes é tão simples parar uma bola de neve. Basta haver vontade. E ontem, pelos vistos, houve.

Hoje durmo mais serena. Não necessariamente melhor. Apenas mais serena. E com saudades de me sentir aconchegada pelo habitual porto de abrigo que, já sei, não posso dizer que seja meu. Porque não é.

Amanhã? Vamos ver como vai reagir o meu corpo. Espero que com menos dores, apesar de toda a pressão que ainda sinto.

Eu não merecia isto…mas é isto que tenho que passar agora. E sentir tudo. Até que um dia deixe de doer.

{comentários}

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.