Daily Archives: 03/07/2022

{#184.182.2022}

Domingo com sabor estranho. Uma mistura de cansaço depois de uma semana intensa de emoções com a necessidade de estudar. Acordar mais cedo do que o despertador, consulta habitual – e necessária! – com o terapeuta fofinho, para depois acabar por adormecer no sofá para entrar no mundo dos sonhos estranhos. Há muito tempo que não me lembro de sonho nenhum. Mas este levou-me de volta ao tempo em que trabalhava com os navios de cruzeiro. Não sei quem é o senhor Vítor cujo telefonema tinha que atender para lhe fazer (ou ele a mim?) uma entrevista de trabalho. Não sei quem é o senhor Vítor, mas informei cá em casa que não podia almoçar ainda porque tinha que falar com ele. Fiquei sem perceber nada, quem estava comigo também. Mas deu para rir e perceber que estou, mesmo!, a precisar das minhas férias.

Estudar. Nos próximos dias vou ter que encontrar tempo para estudar depois de chegar do trabalho. O exame está quase aí. E a ansiedade que isso me provoca vai-se instalando devagarinho. Consegui estudar umas horas. Mas não o suficiente para o que preciso.

Tirando isso, o pensamento sempre lá, onde está há tanto tempo. Um local que me aconchega. Um porto de abrigo. Sempre lá. Que podia ser aqui, mas não é. E, percebo, continua a fazer-me mais bem que mal.

E por isso mesmo faço questão de manter por perto. Porque, já o disse antes, o que tenho ninguém me tira, e agora sei com certeza o que já sabia.

Um dia…porque ninguém sabe o dia de amanhã. Mas um dia…

Amanhã, dia de regressar ao trabalho presencial depois de três semanas em casa. Não tenho vontade. Mas tem que ser. Agora é hora de enroscar. Não sem antes voltar ao ritual nocturno. Porque, sei, faz sentido e não é só a mim. E saber isso faz-me bem. E por isso mantenho.

Agora é descansar até ao despertador tocar demasiado cedo. Dormir a correr. Para começar mais uma semana que será atípica já programada. Vai correr bem. Vai ficar tudo bem? Não, já está tudo bem.