Daily Archives: 25/05/2023

{#145.221.2023}

Quinta feira. E o dia muito longo, que passou muito devagar, sem nada de extraordinário a acontecer.

Recebi os resultados das análises e, como previsto, uma série de valores estão abaixo do que é suposto. Ferro, Ácido Fólico e Vitamina D já viram melhores dias. Nada que suplementos, melhoria da dieta e Sol não resolvam. Até lá, é certo que esses défices justificam, em grande parte, o meu estado actual.

Tenho, mesmo!, que tratar de mim. Tarde toda passada sozinha em casa, tinha programado tentar dormir no sofá à tarde. Não aconteceu. Passei a tarde entre o sofá e o cadeirão, mas não consegui dormir. Consegui, isso sim, conversar com quem já não conversava há muito tempo. E que me recordou da importância de me priorizar. Pensar em mim. Tratar de mim. Foi muito bom, e importante!, falar com quem falei hoje. Passei a tarde nisto, para ser sincera. E, pela primeira vez, conversei também com um vizinho de quem pouco conheço e do pouco que, de facto, conheço não sou fã. Mas foi meia hora de conversa nas escadas que acabou por me saber bem. Porque me senti ouvida, compreendida e apoiada. Até porque não há como não ser apoiada. O que me fez fazer tilt e me trouxe a um processo de Burnout não foi inventado. Foi algo demasiado ridículo, mas foi real. Aconteceu de facto.

Já me têm apontado caminhos a seguir. Hei-de segui-los, mas não para já. A seu tempo. Para já a prioridade é recuperar da melhor forma. Recompôr-me física, mental e emocionalmente. E a vontade de chorar continua presente. Sem conseguir chorar…

O fardo emocional vai aumentando. O peso, a carga emocional é cada vez maior. Mas não consigo chorar. Acho que sequei as lágrimas em 2017 quando comecei a recuperar daquela Depressão Major que me levou a sítios muito estranhos. Já tive motivos para chorar desde essa altura. Nunca consegui fazê-lo. Como agora não consigo.

Do outro lado do Mundo está alguém que, sei, me daria colo. Mesmo sem pedir. E esse carinho e preocupação têm feito a diferença nos últimos dias. Nas últimas semanas. No último mês…

Não estou sozinha. Tenho várias pessoas de olho em mim. Sei que não me vão deixar cair. E isso é tão importante!

Mesmo não estando sozinha, mesmo sabendo que há níveis a precisar de reposição, mesmo com grande confusão mental e um grande peso emocional, mantenho o mesmo foco desde o primeiro dia: eu sou o mais importante! E, para recuperar, preciso de duas coisas: de tempo e de mim mesma. Um dia de cada vez. Sem pressa. Sem pressão. Muito menos auto-imposta.

Amanhã? Será mais um dia tranquilo. E será um bom dia. Porque eu quero que assim seja. E porque em primeiro lugar estou Eu! O resto é só isso mesmo: o resto. Cada for o seu tempo, será o seu tempo. Até lá, EU estou em primeiro lugar. Depois? Logo se vê…