Category Archives: {#2020.Março}

{#66.301.2020}

Novamente o sorriso. Mesmo quando por vezes me custe sorrir. Mas ele existe, está cá. Só precisa de espaço para surgir.

De resto, mais um dia estranho. Porque me sinto estranha. Não sei explicar, apenas sei sentir. E não gosto disso.

Mas vai passar. Vai melhorar.

Mais um dia atrás do outro atrás do um. Sem pressa.

{#65.302.2020}

Mais um dia, que começou da forma que me aconchega. Com um sorriso matinal.

Mais um dia, que passou sem nada de especial a registar.

Mais um dia, que termina como começou. Com um sorriso.

E assim vão passando os dias. Sempre um atrás do outro atrás do um. Sem pressa. Mas com sorrisos que aconchegam.

{#64.303.2020}

É o medo. Todos os dias o medo. Medo de não estar bem, medo de não fazer bem, medo. Simplesmente o medo.
Também por isso é que a ansiedade volta de tempos a tempos.

Não posso permitir que o medo me controle, mas é o medo que está sempre presente.

E isso é o suficiente para sentir que não vivo, apenas sobrevivo.

Tenho medo. E estou cansada do medo.

Não quero apenas sobreviver. Quero viver. Mas o medo instalou-se. E prende-me em algo que não sei explicar. Apenas sei sentir.

E não quero.

{#63.304.2020}

Voltar onde foi preciso ir quando já nada fazia sentido no carrossel montanha russa comboio fantasma que não precisa de moedas, esse bicho escuro chamado Depressão.

Quase três anos depois posso dizer que sim, foi preciso pedir ajuda e foi preciso aceitá-la por muito que, ao início, a recusasse.

Hoje voltei lá. Para uma redução que há muito tempo esperava dos recursos químicos que me fizeram aguentar o horror que se vivia dentro da minha cabeça quando achava que não aguentava mais. Hoje voltei lá e esses recursos já quase não existem, pelo menos comparando com o que tive que suportar no início. E isso é tão bom.

Ainda lá vou voltar, daqui a 7 meses. Tempo mais do que suficiente para consolidar um caminho que tenho percorrido com a ajuda do terapeuta fofinho que, ao fim deste tempo todo, rebenta de orgulho pelo que já alcançámos.

Ainda lá vou voltar, e tenho tempo para me continuar a fortalecer e a aprender que cair também faz parte e não é necessariamente mau. Desde que não permaneça lá em baixo.

Voltei a um sítio que inicialmente recusei e que hoje sei que foi importante. E que me relembrou que pedir ajuda não é vergonha nenhuma nem sinal de fraqueza.

Agora solto um sorriso pequenino, meio tímido, e ouso dizer que consegui. Sempre, claro, com receio do que estes próximos 7 meses me vão trazer e todos os meses depois desses também. Mas prefiro viver um dia de cada vez. Ainda tenho muito para aprender, mas prefiro dizer não ao medo.

Vai ser bom, vai correr bem. E não posso esquecer que, tal como nos últimos 3 anos e meio, não estou sozinha. Tenho uma dream team que não me vai deixar cair.

Hoje voltei àquela janela. E hei-de lá voltar daqui a uns meses. E saí de lá contente.

Agora é ir vivendo. Sem medo. Já chega de sobreviver.

{#62.305.2020}

Voltar à rotina está a ser mais difícil do que pensei que pudesse vir a ser. O que quer dizer que ainda não estou a 100%.

Mas, mais uma vez, amanhã vai ser melhor. Por hoje, vai-se tentando um pouco mais de cada vez. Devagar. Devagarinho. De modo quase parado.

{#61.306.2020}

Devagarinho a preparar-me para voltar à rotina.

Já o disse antes, a rotina é-me importante. Uma semana em casa doente deu para descansar da rotina, é um facto, mas falta-me o resto.

Amanhã volto aos horários fixos e rame rame habitual. Ainda devagarinho, mas sem tempo para continuar doente. Sem pressa, mas a um ritmo que se impõe para chegar ao fim do dia com o dever cumprido.

Estou farta de estar doente. Voltar ao normal vai ser bom. E já estarmos em Março é melhor ainda.