Category Archives: {#2021.Março}

{#70.296.2021}

Mais um valente encolher de ombros para terminar o dia. Um dia isto ainda vai fazer sentido. Ou não…

Vai correr tudo bem. Tem que correr tudo bem. Entretanto vou encolhendo os ombros.

{#69.297.2021}

Tenho saudades de fotografar. Especialmente fotografar pessoas. Vou ter muito tempo livre em breve para o poder voltar a fazer. Mas não vou ter pessoas para fotografar.

Mas apetece-me pegar na máquina e registar momentos. Mas a vontade grande é mesmo registar momentos de pessoas. Momentos e pormenores. Com mais ou menos detalhes, mais ou menos contraste, tenho saudades de pegar na máquina para depois transferir tudo para o computador e fazer a edição do que vale a pena.

Vou ter tempo para isso. A ver se é desta que volto a algo que me deixa feliz.

{#68.298.2021}

Continuo a sonhar acordada. E cada vez mais aqueles sonhos impossíveis de realizar por vários motivos.

Dizem que sonhar faz bem. Talvez seja verdade. Mas também pode fazer o oposto, quando não controlamos aquilo que sonhamos acordados. E é por isso que, às vezes, gostava de não sonhar tanto.

{#67.299.2021}

Sair de casa para ir à mercearia começa a ser cada vez mais difícil. Sair de casa seja para o que for, na realidade. Praticamente há um ano a trabalhar de casa faz mal a quem já tinha tendência para ficar em casa. É demasiado confortável e às vezes é preciso sair dessa zona de conforto.

Hoje foi dia de voltar à rotina, depois de um fim de semana de preguiça. E a rotina, nos dias que correm, resume-se a esperar que o trabalho apareça. Não é fácil ter que esperar que o trabalho apareça…

Seja como for, é de aproveitar os últimos dias. A partir da próxima semana tudo vai mudar. Vai terminar a rotina, quatro anos depois. E não vai ser fácil…

Amanhã? Logo se vê. Será melhor. Não é difícil depois de um dia de muito sono por causa de uma noite pouco dormida. Agora é altura de descansar e recuperar as horas perdidas na última noite.

Amanhã será melhor. Não me posso esquecer de o repetir todos os dias. Porque só assim consigo acreditar que sim.

{#66.300.2021}

Como previsto, o dia de hoje foi igual ao de ontem: mantas, sofá, televisão e gata.

Amanhã, o regresso à rotina. Ou o começo do fim da rotina como a conheço nos últimos 4 anos e pouco. Última semana completa de rotina para depois mergulhar no desconhecido.

E a ficha ainda não caiu…

{#65.301.2021}

Sábado de moleza e preguiça. Sofá, mantas, televisão e gata.

Nada mais a declarar. Tirando aquele bom dia que chegou na hora certa para me aconchegar, como sempre o faz.

Amanhã? Será, muito provavelmente, igual. Mas nem por isso será mau.

{#64.302.2021}

Há dias em que sonho acordada mais do que noutros. Hoje foi um desses dias.

Não sei se me faz bem sonhar acordada, mas sei que o que me leva a sonhar não é motivo para cortar com nada. Nem com ninguém.

Amanhã é fim de semana. Vou ter bastante tempo livre para continuar a sonhar. Até que alguém me traga de volta à realidade.

Até voltar à realidade, continuo a sonhar. Não faço filmes na minha cabeça, isso é só para quando alguma coisa não está bem. Apenas sonho. E sabe bem.

Por hoje, mantenho o que digo: não há motivo para cortar com o que me faz bem. E por isso sonho. Só cortarei se algum dia me fizer realmente mal. E tenho algumas dúvidas que isso possa vir a acontecer.

Tenho tanta vontade de fazer acontecer o que vou sonhando… Mas não depende só de mim. Por isso guardo esses sonhos comigo. Como vou guardando tudo o resto.

Quem sabe um dia?

{#63.303.2021}

Tenho saudades. De muita coisa. Mas tuas principalmente. Mesmo falando contigo todos os dias.

Serão saudades de outro tempo, que nunca existiu? Não sei. Sei que para mim são saudades de algo que quero repetir contigo.

Levas-me a passear outra vez? Mais longe, como já fomos, ou até mais perto que também já aconteceu, não interessa. É contigo que quero ir. Estar. Ser.

Hoje a chuva voltou a fazer-se presente. Mas tu recebeste-me de manhã com Sol. Sempre com um sorriso. E o dia correu ligeiro. Longo, mas ligeiro. E os verdadeiros dias longos ainda não chegaram. E é desses dias que tenho medo. Mas sei que mesmo nesses dias me irás receber de manhã com um sorriso. E isso irá fazer toda a diferença.

Entretanto, vou continuando a sonhar acordada. Porque isso ainda posso ir fazendo. Não te conto os meus sonhos, claro, mas estás presente em todos eles. E é tão bom.

Agora recolho-me. Está quase na hora de enroscar e aninhar. E um dia, acredito, será em ti que vou enroscar. Não hoje, eu sei, mas um dia que já esteve mais longe. Hoje enrosco sozinha, mas ao mesmo tempo enrosco em ti, que estás sempre aqui presente, ao meu lado.

E tenho a certeza que, quando finalmente acontecer, vai ser tão bonito. Porque o que trago comigo é bonito.

Agora é hora de pensar e acreditar que amanhã será melhor. E vai ser porque, mais uma vez, tu vais estar presente.

{#62.304.2021}

Estou cansada da minha janela. Faz-me falta o mundo lá fora. Por outro lado, cada vez tenho menos vontade de sair daqui. Com os novos tempos que se aproximam, vou ter que sair de casa mais vezes. Mas a vontade é pouca.

Mas é o que é. Pode ser que tudo entretanto melhore para estes lados e não seja preciso sair tanto.

Vamos esperar para ver…

{#61.305.2021}

A Primavera está quase aí, já se vai mostrando nos dias mais longos e nas mimosas carregadas de amarelo. Afinal, sempre conseguimos sobreviver ao Inverno.

Mas resta-me saber se iremos sobreviver às ausências de proximidade. Tenho saudades de estar com algumas pessoas sem medos, sem receios, sem restrições. Tenho saudades de ir jantar fora. Tenho saudades de abraços. Tenho saudades da proximidade. Da presença.

E vou sonhando acordada por aí com o que virá depois. Que podia ser agora, não fosse o mundo estar como está, de pernas para o ar.

Resta-me isso mesmo, sonhar acordada. Para adormecer todas as noites em cenários que crio na minha cabeça como se fossem reais. Que podiam tanto ser. Que eu queria tanto que fossem.

Não alimento nada que para alguns não tem significado. Mas também não corto com o que me faz bem. Não posso. Porque cortar não me iria trazer nada de bom.

Vou sonhando acordada por aí. E a Primavera vai chegando. E as saudades aumentando.

Um dia tudo isto melhora e a Primavera fica de vez e os sonhos realizam-se e as saudades matam-se. Até lá, é como sempre foi: um dia atrás do outro atrás do um.

Mas a Primavera vai chegando. E eu continuo a sonhar acordada.

{#60.306.2021}

Gosto quando me perguntam “Como estás?”, mesmo que falemos todos os dias. Ou especialmente quando falamos todos os dias.

Aconchega-me. E rouba-me um sorriso, daqueles pequeninos que vêm bem cá de dentro.

Mas gosto ainda mais quando és tu a perguntar…