Category Archives: {#Nov/2019}

{#321.45.2019}

Como previsto, fim de semana de mantas e livros. Sem mais.

Não é suficiente.

Quero e preciso de mais.

Alguma ideia por aí?

{#319.47.2019}

Novamente: planos para o fim de semana?

Na falta de programa melhor, mantas e livros. Ainda vai a tempo de melhorar. Mas se não melhorar, também não se perde tudo.

Nota-se muito que os meus fins de semana não são muito activos?

{#318.48.2019}

Planos para o fim de semana?

Não há… Ainda é cedo, eu sei. Mas estou cansada de fins de semana vazios.

{#317.49.2019}

Novamente em modo conversas telegráficas. Não gosto. Mereço mais. Mas é só o que há por agora.

Vamos ver se nos próximos dias há melhorias e, quem sabe, a oportunidade de dar o passo que quero dar. E preciso de o fazer. Rapidamente.

{#316.50.2019}

O mundo não é um lugar feio. Não é. Mas há pessoas, pequeninas na sua condição de ser [pouco] humano, que o tornam desconfortável.

Estou cansada de pessoínhas. E do desconforto que provocam.

{#315.51.2019}

Pensamos muitas vezes que o Tempo passa a correr.

Mas não fazemos nada para o aproveitar melhor.

Pois não?

Continuo a dizer que não tenho tempo para perder Tempo. Mas na verdade não faço outra coisa se não perdê-lo. E não gosto disso.

{#314.52.2019}

Domingo com sabor a domingo, mais um.

Tenho saudades de domingos mais mexidos. Mas continuo sossegada a procurar o calor das mantas neste Outono que começa a lembrar Inverno.

{#313.53.2019}

Noite com sonhos estranhos relembram-me que tudo pode mudar de um momento para o outro.

6 anos depois relembro, também, que sim, tudo pode de facto mudar de um momento para o outro.

Um dia os outros somos nós. E ainda hoje, apesar de estar em paz, não entendo como foi possível acontecer o que aconteceu.

{#312.54.2019}

Há silêncios que me deixam desconfortável.

É nesses silêncios que a minha insegurança fala mais alto.

{#311.55.2019}

É possível crescer na adversidade. É nos dias mais difíceis que se supera o que se julgava insuportável.

Não me posso esquecer. Tem sido assim que tenho crescido, mas por vezes esqueço-me.

Não procuro dias difíceis, não os quero de volta. Até porque tenho medo de não ter forças para os aguentar novamente.

Resta-me acreditar que vai correr tudo bem. E que se não correr não estarei sozinha.

Vou dar um novo passo em frente. Vamos ver como corre.

{#310.56.2019}

A memória de calendário diz-me que nos próximos dias há eventos que se repetem.

É uma boa altura para dar um novo passo em frente para alcançar o que desejo.

Isso ou desistir de vez. Mas desistir nunca foi opção.

{#308.58.2019}

Parar de pensar em ti é sempre o mais difícil. Quando tudo o que quero é poder estar ao teu lado de mãos dadas e a seguir caminho.

Contigo.